Tombamento do Órgão Arp Schnitger, Mariana/MG

Tombamento do Órgão Arp Schnitger, Mariana/MG

O Órgão da Sé de Mariana tem reconhecimento internacional. Atualmente, é o único instrumento de Arp Schnitger que se encontra fora da Europa. Vários organistas e organeiros de renome internacional já se interessaram por esse bem. Suas características técnicas esclarecem aspectos das manufaturas de começos do século XVIII e revelam também as teorias musicais da época. Cada componente do Órgão está envolto por uma historicidade, trazendo em sua materialidade inscrições que nos conduzem a diferentes temporalidades.

A perspectiva do trabalho de pesquisa se fundamentou no entendimento de que o Órgão é, por si só, um documento, isto é, um bem que diz respeito a alguns aspectos da história do Império Ultramarino Português, de relações entre a Europa, a Ásia e o Novo Mundo. O instrumento musical construído pelo organeiro alemão Arp Schnitger circulou pela Ibéria, recebeu as estampas inspiradas na arte chinesa e chegou ao Brasil em 1753, como presente da coroa portuguesa ao primeiro Bispo de Mariana. O dossiê trata-se, por tanto, de um estudo mais amplo, destinado a esclarecer à comunidade a importância simbólica, histórica e técnica do Órgão Arp Schnitger.

O dossiê elaborado pela empresa Memória Arquitetura subsidiou o tombamento municipal em 2009, uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Mariana/MG. E ainda, o instrumento está em análise a fim de fazer parte do tombamento internacional de órgãos da manufatura Arp Schnitger pela Unesco. Os magníficos sons do Órgão Arp Schnitger podem ser ouvidos em concertos regulares às sextas e aos domingos na Catedral da Sé de Mariana sob a coordenação e interpretação de Elisa Freixo.