Tombamento do Núcleo Histórico Urbano do Distrito Sede de Prados/MG

Tombamento do Núcleo Histórico Urbano do Distrito Sede de Prados/MG

O núcleo histórico-urbano existente em Prados/MG possui um rico diálogo com a arquitetura colonial, representada principalmente pelos dois principais templos religiosos da cidade, as Igrejas Matriz e do Rosário. No entanto, a própria construção civil traz as marcas dos modos de habitar dos séculos XVIII e XIX. Muitas dessas edificações foram erguidas ou remodeladas ao longo do oitocentismo, mas os casarões do século anterior também se integram a essa estrutura predial, sem apresentar mudanças muito significativas.

Nos arredores da sede ecoam as concepções arquitetônicas desse período, ainda que em menor grau, mas repetem as preocupações com a obtenção de moradas simples, desprovidas de excessos ornamentais, adaptadas ao ritmo da vida cotidiana, mas mesmo nessa singeleza, sensibilidades e gostos específicos podem ser apurados.

Nas moradias se verifica uma criativa improvisação, elegantemente chamada de arquitetura vernacular: pedras, barro, cipós, madeiras, excrementos de bois, bambus – matérias retiradas das proximidades e utilizadas como componentes para edificação das moradas. A taipa de mão (pau-a-pique), a taipa de pilão e o adobe foram as principais técnicas para a ereção de paredes, erguidas sobre embasamentos de pedras largas e achatadas, usadas para compensar o desnivelamento do solo e, ao mesmo tempo, fornecer uma base sólida.

Muitas manifestações culturais e modos de fazer específicos desta região ainda são praticados e ensinados por várias gerações. Assim, para que a cidade continue conservando suas peculiaridades, é necessária uma política de preservação com ações e atividades direcionadas à proteção do acervo ainda intacto desta típica cidade colonial mineira. Nesse sentido, o dossiê elaborado pela empresa Memória Arquitetura em 2010 respaldou o processo de tombamento municipal do Núcleo Histórico Urbano de Prados/MG, visando, através da proteção de seu acervo urbanístico, conceder um reconhecimento destacado para essa ambiência.