Tombamento do Coreto de Chico Cascateiro, Carmo de Minas/MG

Tombamento do Coreto de Chico Cascateiro, Carmo de Minas/MG

Em janeiro de 2006, foi realizado levantamento de informações bibliográficas, documentais, orais, métricas e fotográficas do Coreto de autoria do artista português Francisco da Silva Reis, o Chico Cascateiro, localizado no município mineiro de Carmo de Minas. Sob a responsabilidade técnica do grupo Memória Arquitetura, o dossiê de tombamento elaborado em 2006, subsidiou a salvaguarda deste patrimônio cultural em destaque, de valor estilístico e peculiar, além de ser um elemento que nutre um enorme valor afetivo dos moradores.

Como em muitas outras praças públicas, o jardim público de Carmo de Minas, inaugurado em  1921, recebeu a construção de um coreto, uma fonte e vários bancos. No entanto, o que diferenciou tal praça demais praças públicas brasileiras foi a contratação do cascateiro-português, Francisco da Silva Reis, para execução destes elementos integrados. Com o ofício de “cascateiro”, ou seja, construtor, escultor de cascatas, Francisco da Silva Reis executou na Praça Francisco Franqueira muito mais que simples obras públicas. Esse português deixou sua marca pessoal e seu talento inigualável na execução de verdadeiras obras de arte naquele logradouro público.

Francisco Reis construiu na praça um coreto, um poste – semelhante a um tronco de árvore, treze bancos: três imitando troncos caídos e dez com encostos semelhantes a bambus envoltos em cipós retorcidos e, ainda, uma cascata, que saía da parte de baixo do coreto. A arte desse escultor-paisagista português consistia em transformar a argamassa em simulacros da natureza. Suas preferências foram para reproduzir a natureza esculpindo cascatas artificiais, bancos e quiosques com sustentações como se fossem de bambus, imitações de pedras e rochedos, troncos de árvores envoltos em cipós retorcidos, pequenos insetos, pontes e miradouros com corrimãos semelhantes a entalhe em madeira, entre várias outras representações que o naturalista observava nas matas que envolviam o sul mineiro e depois reproduzia em suas obras.