Tombamento do Conjunto Urbano “Passos da Paixão”, Prados/MG

Tombamento do Conjunto Urbano “Passos da Paixão”, Prados/MG

A religiosidade é elemento inconteste quando se estuda os arraiais e as vilas mineiras constituídos no período colonial. E uma das celebrações religiosas tradicionais das cidades mineiras é o ritual da Semana Santa. No município mineiro de Prados não é diferente. O registro mais antigo da ocorrência da Semana Santa na localidade data de 1732 e está contido no Livro de Receita e Despesa da Irmandade de São Miguel e Almas. Ainda hoje, tal festividade se constitui em importante evento na cidade e, apesar do ritual da Paixão de Cristo ser executado em grande parte dos municípios mineiros, em Prados, há algumas peculiaridades que o distinguem dos demais: foram preservadas cinco pequenas capelas, chamadas pelos habitantes locais de “passinhos”, e nelas a população, em procissão, interrompe seu percurso, para ali manifestar seus principais ritos de fé. Em cada uma dessas capelinhas estão representados componentes sacros que simbolizam os Passos da Paixão de Cristo, também conhecidos como Via Sacra.

Em Prados, durante a Semana Santa, especificamente na segunda e na quarta-feira, acontecem as procissões e a Visitação dos Passos. Nesses dias, as pequenas capelas são abertas e enfeitadas pelos moradores com flores e ramos que simbolizam, respectivamente, a Paixão e a Morte de Cristo. As procissões se iniciam na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, passam por todos os cinco passinhos e terminam na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, com a representação da XVa Estação (Ressurreição de Cristo). Em cada Passinho são executadas pela Lira Ceciliana peças musicais sacras, cantadas em latim. As responsabilidades pelo cuidado e pela manutenção de cada Passinho são de diferentes famílias pradenses. Na falta dos mais antigos, membros mais jovens da família recebem a incumbência: uma tradição que, há séculos, tem passado de geração para geração na localidade.

A elaboração do Dossiê/Processo de Tombamento do Conjunto dos Passos da Paixão de Prados/MG, teve como objetivo a (re)construção do histórico do conjunto das cinco capelas, que fazem parte das festividades da Semana Santa do município, e respalda-se em dois tipos de fontes principais: na oralidade, com depoimentos sobre a história e o significado simbólico dos passinhos, e na documentação textual: jornais, livros, fotografias, publicações religiosas, entre outros. É importante ressaltar o valor simbólico dos Passos da Paixão de Cristo para a população pradense, dada a forte religiosidade da localidade, mas, também, o seu valor histórico e estilístico, pois, pelo menos dois dos passinhos não sofreram modificações estruturais e de localização, remontando, possivelmente, ao final do século XVIII.

O tombamento do Conjunto dos Passos da Paixão de Prados foi efetivado em 2005, através do Decreto Municipal nº 1.336. Posteriormente, para a integralidade do processo foi elaborado pela empresa Memória Arquitetura, em 2008, o Dossiê de Tombamento que, submetido à análise do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Prados/MG, teve a aprovação das diretrizes e delimitações de perímetros propostas, registrada em ata oficial no dia 14 de fevereiro de 2008.