Tombamento do Conjunto Paisagístico de Pontilhões Ferroviários, Delfim Moreira/MG

Tombamento do Conjunto Paisagístico de Pontilhões Ferroviários, Delfim Moreira/MG

O dossiê elaborado pela empresa Memória Arquitetura agrega os estudos técnicos e trâmites administrativos que respaldam o tombamento do Conjunto Paisagístico de Pontilhões Ferroviários de Delfim Moreira, alinhada às diretrizes sugeridas pelo Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA/MG.

Elaborados a partir de uma equipe interdisciplinar, os estudos aliam pesquisa histórica, descrições, análises e levantamentos arquitetônicos, além de documentação fotográfica, definições dos perímetros de tombamento e dos seus respectivos entornos que, por sua vez, fundamentam as diretrizes futuras para gestão e salvaguarda desses ícones representativos do patrimônio cultural do município.

Construídos na década de 1920, os pontilhões ferroviários situados no município de Delfim Moreira, localizado no sul de Minas Gerais, tiveram a função de possibilitar a passagem de trens sobre os cursos d’água presentes na região, mas tornaram-se, ao longo da história, vestígios materiais de um passado industrial nostálgico. São cinco os pontilhões que conformam o Conjunto Ferroviário e ao contrário de muitos outros edificados também na primeira metade do século XX, não foram construídos em estrutura metálica, mas sim em pedra, de forma que os vãos são vencidos através de grandes arcos.

Revelam-se atualmente como importantes ferramentas da memória coletiva delfinense, passando a simbolizar um complexo patrimonial referente às antigas dinâmicas produtivas e sociais do município, que justificam sua tutela e promoção.