Tombamento da Capela de São Miguel Arcanjo, Pedra do Indaiá/MG

Tombamento da Capela de São Miguel Arcanjo, Pedra do Indaiá/MG

O Dossiê de Tombamento (2006) da Capela de São Miguel Arcanjo ou a “Igrejinha”, como é popularmente conhecida, localizada no município de Perda do Indaiá, centro-oeste mineiro, compõe o processo legal para a proteção deste bem e endossa seu valor histórico e cultural para a comunidade local. Esse trabalho foi uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Pedra do Indaiá/MG e do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural e Natural; com a consultoria da equipe técnica especializada da empresa Memória Arquitetura.

A metodologia utilizada na elaboração deste trabalho, bem como o processo de tombamento da Capela, passou pelas seguintes etapas: (1) Inventário do bem cultural no ano de 2005 e seu reconhecimento notório pelo Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural e Natural de Pedra do Indaiá/MG; (2) Pesquisa histórica e documental; (3) Levantamento in loco incluindo medição de todo o imóvel, caracterização arquitetônica e análise do estado de conservação do bem; (4) Organização das informações coletadas em campo e gabinete e elaboração de textos e representações cartográficas; (5) Análise do Dossiê pelo Conselho e emissão de parecer com a aprovação do documento; (6) Notificação ao proprietário da Capela; (7) Publicação do Decreto de Tombamento assinado pelo Prefeito; (8) Finalização do rito legal com inscrição no Livro do Tombo.

A Capela de São Miguel Arcanjo, construída em meados do século XVIII, passou por uma grande reforma no início da década de 80, quando estava em processo avançado de arruinamento, mantendo-se o sistema construtivo original feito por estrutura em pedra com junção seca. Desprovida de revestimento interno e externo, a “Igrejinha” exibe uma robustez e ao mesmo tempo uma singeleza em suas feições, o que lhe faz ainda mais peculiar.

A restauração contou com apoio integral da comunidade, sendo comemorada, desde então, a “Festa da Igrejinha”. A tutela da capela representa, portanto, mais que conservar a sua integridade física, mas o resguardo da identidade cultural indaiaense, que se manifesta através da sua religiosidade e da euforia dos participantes que se reúnem e celebram, anualmente, a restauração deste marco que originou a cidade de Pedra do Indaiá/MG.