Identificação do Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC) do Tambor de Crioula, Região dos Cocais/PI

Identificação do Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC) do Tambor de Crioula, Região dos Cocais/PI

A etapa de Identificação do Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC) do Tambor de Crioula abrangeu sete municípios da Região dos Cocais piauiense – território considerado culturalmente diferenciado no que se refere à atividade -, sendo eles: Miguel Alves, Porto, Nossa Senhora dos Remédios, Matias Olímpio, São João do Arraial, Madeiro e Luzilândia. Executado em 2012, o grupo Memória Arquitetura foi contratado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, Superintendência no Piauí.

Os procedimentos metodológicos adotados durante a pesquisa pautaram-se nas orientações do Manual de Aplicação do INRC, que permitiram a descrição, a tipificação, o mapeamento das relações entre os bens identificados e a prática da forma de expressão e a identificação dos aspectos básicos de sua execução, delimitando os executantes (grupos de tamborzeiros), os bens associados, o público, entre outros elementos que atribuem à manifestação cultural o aspecto de referência cultural da Região dos Cocais.

Nos municípios inventariados, os sentidos e representações da recriação, guardadas as particularidades dos executantes, se aproximam no que se refere ao reconhecimento do tambor como divertimento, mas que se liga às significações mágico-religiosas. A prática, como poderá ser verificada ao longo do trabalho, mantém-se vigente e íntegra na Região dos Cocais, representando importante referência cultural para as populações do território onde a forma de expressão foi investigada.