Dossiê de Tombamento: Antigo Banco Mineiro da Produção

Dossiê de Tombamento: Antigo Banco Mineiro da Produção

Localizado no coração de Belo Horizonte, na Praça Sete de Setembro, o edifício do antigo Banco Mineiro da Produção foi projetado em 1953 por Oscar Niemeyer, enquanto Juscelino Kubitschek estava à frente do governo de Minas Gerais. Relevante dentro da tessitura urbana e na história da terceira fase da consolidação do centro da cidade, seu estilo arquitetônico modernista e implantação conferem imponência ao imóvel e harmonia junto às demais edificações daquele trecho. O prédio destaca-se ainda por sua composição formal característica, na simplicidade do volume puro onde o vidro se alterna às faixas horizontais, em modulação expressiva. Objetivando apontar a relevância desta edificação para a memória urbana não só de Belo Horizonte, mas também do Estado de Minas Gerais, o trabalho realizado pelo grupo Memória Arquitetura, juntamente com o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais — IEPHA/MG, em 2016, é a síntese de pesquisas e estudos de equipe multidisciplinar, que abrangem os aspectos históricos e construtivos sobre a concepção e trajetória do edifício ao longo do tempo. Estabelecidos os diversos aspectos de sua importância e interação naquela paisagem, foram ainda definidos os perímetros de proteção da edificação e as diretrizes a serem seguidas na avaliação de propostas de intervenções no interior desses perímetros, para que ocorram de forma coerente com a preservação e destaque dos valores identificados. É importante salientar que o IEPHA/MG, de acordo com o Plano Estadual de Proteção do Patrimônio para o biênio 2016-2017, aprovado pelo Conselho Estadual do Patrimônio Cultural — CONEP em fevereiro de 2016, se propôs a realizar o inventário para proteção do conjunto de obras de Oscar Niemeyer em Minas Gerais, iniciando-se pelo trabalho presente na capital mineira, sendo o antigo Banco Mineiro da Produção uma das mais relevantes obras de um período criativo específico do arquiteto, que coincide com o mandato de Juscelino Kubitschek como governador de Minas Gerais (1951-1955), em que Niemeyer acentua o uso de superfícies curvas em edificações verticais, conjugando-o com o uso de aberturas contínuas, protegidas por lajes, à maneira de brise-soleils horizontais. http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/05/31/interna_gerais,768028/predio-do-antigo-bemge-e-preservado-pelo-patrimonio.shtml