Dossiê de Registro do Reinado de Nossa Senhora do Rosário, Carmo do Cajuru/MG

Dossiê de Registro do Reinado de Nossa Senhora do Rosário, Carmo do Cajuru/MG

Pelo Decreto nº 42.505, de 15 de abril de 2002, o Governo do Estado de Minas Gerais instituiu o registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial ou Intangível, que podem ser inscritos em quatro diferentes livros: dos Saberes, dos Lugares, das Formas de Expressão e das Celebrações. Nesse último são registrados os rituais e festas que marcam a vivência coletiva do trabalho, da religiosidade, do entretenimento e de outras práticas da vida social. Sendo assim, em nível municipal, foi registrado o Reinado, forma de expressão do município mineiro de Carmo do Cajuru.

Registrar o Reinado manifestado em Carmo do Cajuru é o mecanismo pelo qual será possível salvaguardar para a posteridade as informações sobre as relações entre o munícipe, suas memórias, sua história e sua cultura popular-religiosa, formadoras de sua identidade. A proteção legal desta manifestação é importante para que seja dada às gerações futuras a oportunidade de se conhecerem e de se compreenderem culturalmente enquanto agentes de uma coletividade.

O dossiê de Registro desse bem imaterial foi produzido a partir da leitura e reflexão das fontes bibliográficas, documentais, orais, eletrônicas e imagéticas levantadas na visita técnica realizada em Carmo do Cajuru em fevereiro de 2014. A visita técnica compreendeu também a observação dos relatos dos organizadores e participantes do evento e o registro fotográfico das fontes disponíveis. Consistiu, ainda, em entrevistas que trataram do surgimento da festividade, suas transformações ao longo do tempo e da atual forma de organização.

Nesse sentido, o presente trabalho contém o histórico do município de Carmo do Cajuru, o histórico do Reinado no Brasil, o histórico deste folguedo em Minas e em Carmo do Cajuru. O dossiê traz ainda a descrição da organização e manifestação da atividade. Foi realizado ainda um estudo sobre as áreas de ocorrência da manifestação, que buscou delimitar e descrever o espaço de realização da festa. Por fim, foram identificados os problemas que interferem na realização do folguedo e sugeridas as medidas de gestão para salvaguardar e valorizar o bem imaterial às próximas gerações.

Esse foi um trabalho realizado pela empresa Memória Arquitetura, em contrato firmado com a Prefeitura Municipal de Carmo do Cajuru/MG em atendimento à demanda do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Carmo do Cajuru – COMPHAC.